Desporto

Jaguar Pandi é a mascote dos Jogos Olímpicos da Juventude 2018

Escolha pretende alertar os jovens para os perigos de extinção deste animal, que é o maior felino do continente americano. Prova realiza-se em Outubro em Buenos Aires
Rita Nunes
O jaguar, também conhecido por onça-pintada, ainda pode ser encontrado em seis províncias argentinas. É considerada uma espécie quase ameaçada pelo IUCN (Foto: Pixabay)

O jaguar (Panthera onca) é o animal que serviu de inspiração para a criação da mascote da 3.ª edição dos Jogos Olímpicos da Juventude, que decorrerão na cidade argentina de Buenos Aires de 6 a 18 de outubro de 2018.

A mascote, de nome Pandi, tem como objetivo incentivar os mais jovens a adotarem o desporto como uma ferramenta para construir um mundo melhor e consciencializá-los para os perigos de extinção desta espécie.

Pandi é o nome da mascote dos Olímpicos da Juventude 2018

Em 2004, a Administração de Parques Nacionais da Argentina, o Ministério do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SAyDS, sigla em argentino), as seis províncias argentinas onde a espécie ainda é encontrada, juntamente com diversas ONG, iniciaram um plano de ação regional e nacional para proteger esta espécie, que desde 2008 é considerada quase ameaçada pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, sigla em inglês).

Considerado o maior felino do continente americano, o jaguar (também conhecido como onça pintada) apresenta uma coloração que varia entre o bege e o amarelo-acastanhado, com pintas escuras, o ventre branco e a cabeça arredondada. Apesar de as su

as pernas serem relativamente curtas, uma das suas capacidades é a agilidade para saltar e nadar. Pode atingir os 120 quilómetros por hora.

Ao contrário da maioria dos felinos, o jaguar não mia. A sua vocalização é semelhante a um ronco forte, também designado como esturro. Este animal atinge, em idade adulta, um peso que varia entre os 30 e os 120 quilos, uma altura de 80 a 100 centímetros e um comprimento que pode chegar aos 1,7 metros, sem contar com a cauda.

Em 2015, o Comité Olímpico do Brasil também escolheu o jaguar para mascote da equipa olímpica nacional – Time Brasil. O Ginga, como foi batizado, representou não só os atletas, mas também a “torcida” brasileira nos Jogos Olímpicos Rio 2016.

 

Rita Nunes é Diretora do Departamento de Estudos e Projetos do Comité Olímpico de Portugal. É licenciada em Gestão do Desporto, mestre em Estudos Olímpicos e está a concluir o doutoramento em História Contemporânea na NOVA FCSH. É colaboradora de Os Bichos – O seu jornal sobre vida animal. Pode ser contactada através do seguinte endereço electrónico: itaa.nunes@gmail.com

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.