Prevenção

Vai passear o seu animal? Atenção aos cágados

Ataques de cães e gatos podem ser fatais para estas tartarugas anfíbias, que estão ameaçadas. Se encontrar um animal ferido, encaminhe-o para um médico veterinário ou um centro de recuperação
Fátima Mariano
Animais

 

Os cães e gatos gostam de brincar com os cágados, podendo-lhes causar ferimentos muito graves ou até mesmo a morte (Foto: MaxPixel)

Os nossos cães e gatos são grandes inimigos dos cágados-de-carapaça-estriada (Emys orbicularis) e dos cágados mediterrânicos (Mauremys leprosa), duas espécies autóctones de tartaruga anfíbia que estão ameaçadas. Não são raros os casos de cágados encontrados gravemente feridos na sequência do ataque de um cão ou de um gato.

«Ainda hoje [ontem], acolhemos um cágado mediterrânico, que pesava 660 gramas, muito traumatizado, devido ao ataque de um cão. Acabou por morrer», contou ao jornal Os Bichos Élio Vicente, biólogo marinho e director de Relações Externas do Zoomarine, em Lagos, acrescentando que estas situações acontecem com alguma regularidade.

Os cágados são animais «muito tímidos e lentos», que não conseguem defender-se das unhas ou das mordidas dos cães e gatos. Por muito pequenas que as feridas sejam, podem acabar por morrer de septicemia. Há donos de cães e gatos que se apercebem do ataque e encaminham o cágado para um médico veterinário ou um centro de reabilitação. Podem também recorrer ao SEPNA (Serviço da Protecção da Natureza e do Ambiente) da GNR.

Mas há situações em que isso não acontece. Além de que vários ataques são praticados por cães e gatos errantes. Élio Vicente refere que há cágados que ficam cegos ou paralisados ou com a carapaça extremamente danificada. Mesmo que sobrevivam, não podem ser devolvidos ao seu habitat natural, pois acabariam por morrer. Nestes casos, são encaminhados pelo Estado para jardins zoológicos ou santuários animais.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.