EUA

Sargento Stubby, o cão mais condecorado da Primeira Guerra Mundial

Mascote da 26.ª Divisão do Regimento de Infantaria 102 da Força Expedicionária Americana participou em 17 batalhas na frente europeia da guerra. Tornou-se membro honorário da Cruz Vermelha e da Legião Americana 
Bichos
Stubby participou em 17 batalhas no ano e meio em que esteve na guerra (Foto: Nationaal Archief)

Este herói arraçado de Bull Terrier tornou-se a mascote da 26.ª Divisão do Regimento de Infantaria 102 da Força Expedicionária Americana por acaso. Em Julho de 1917, ainda cachorro, apareceu a deambular no campus de New Haven (Conneticut) da Universidade de Yale, onde os militares daquela unidade treinavam antes de partirem para a frente europeia da Grande Guerra. Um dos soldados, J. Robert Conroy, afeiçoou-se ao animal e, contra as regras, decidiu adoptá-lo. Quando embarcaram para França, decidiu levá-lo consigo, mas Stubby foi descoberto a meio da viagem. Apesar de proibido, o comandante permitiu que o cão se tornasse a mascote da unidade, tendo ficado rendido quando ele bateu a continência como o dono lhe tinha ensinado.

Stubby entrou oficialmente ao serviço em 5 de Fevereiro de 1918. Durante cerca de um mês, ele e os seus companheiros humanos estiveram debaixo de fogo em Chemin des Dames, no norte de França. Sofreu com os efeitos secundários do gás de mostarda e teve que ser assistido no hospital. A partir de então, sempre que detectava o mais leve sinal de presença daquele gás no ar, corria por todo o acampamento a ladrar para dar o alerta. Desta forma, salvou muitas vidas, uma vez que os soldados tinham tempo para colocar as máscaras anti-gás.

 

17 batalhas

No dia 20 de Abril, durante uma ofensiva alemã contra a cidade de Seicheprey, foi atingido por estilhaços de granadas no peito e numa pata, tendo sido transportado novamente ao hospital de campanha e, mais tarde, ao hospital da Cruz Vermelha para ser submetido a uma cirurgia. Apesar dos graves ferimentos, sobreviveu e passou a fazer companhia aos militares convalescentes contribuindo para o levantamento do moral das tropas.

Nos 18 meses que esteve na guerra, Stubby participou em 17 batalhas. Graças aos seus feitos heróicos, foi promovido a sargento e condecorado pelo general John J. Pershing, comandante das forças americanas destacadas na Europa. Foi o único cão promovido àquele posto enquanto em combate e é o mais condecorado de entre todos os cães que participaram na Grande Guerra.

Stubby tornou-se membro honorário da Cruz Vermelha Americana, da Legião Americana e da YMCA (sigla em inglês para Associação de Jovens Cristãos) e foi nomeado a mascote oficial da equipa de futebol da Universidade de Georgetown, onde Robert Conroy frequentou o curso de Direito. Morreu em 1926 durante o sono.

1 Comentário
  1. Carlos Alves Lopes 3 meses atrás
    Responder

    Excelente artigo
    Parabéns pela oportunidade da iniciativa
    Os desejos de maior sucesso profissional

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.